quarta-feira, 16 de julho de 2014

REFORÇO NA SEGURANÇA DE ESCOLAS ESTADUAIS EM SÃO PAULO

O governador Geraldo Alckmin anunciou a nova medida no Palácio dos Bandeirantes
O governador Geraldo Alckmin anunciou nesta terça-feira, 24, um reforço na segurança na porta das escolas estaduais com a volta às aulas. Pais, alunos e professores contarão com 1.550 policiais militares em um projeto inovador do Governo do Estado de São Paulo.
Fruto de parceria entre as Secretarias da Educação e da Segurança Pública, as unidades de ensino ganharão a partir da segunda quinzena de julho duplas de PMs nas portas de 775 escolas estaduais do Estado: 226 na Capital, 437 na Grande São Paulo, 58 na região de Campinas e 54 na Baixada Santista.
“A escola é o ponto cardeal da cidade. Tem que ser o local mais protegido e preservado para os alunos, professores e a comunidade. Eu tenho certeza que estamos dando hoje um passo que será também um grande sucesso”, disse o governador durante o anúncio.
No total, serão 1.550 policiais militares por dia empregados na ação. Os PMs vão atuar voluntariamente em suas folgas por meio da Diária Especial por Jornada Extraordinária de Trabalho Policial Militar (DEJEM), com direito a uma remuneração adicional. Esses policiais militares irão realizar patrulhamentos nas escolas estaduais durante dias úteis, em turnos de oito horas.
O principal objetivo é minimizar os conflitos na porta e entorno e dar continuidade às ações preventivas já aplicadas, como a Ronda Escolar e o Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd), e principalmente o Sistema de Proteção Escolar. Esse último, implantado na rede em 2009, promove estratégias para a melhoria das relações e segurança do ambiente escolar.
“São dois elos que se unem. Dois elos importantes, a educação e a segurança. E quando nós falamos de políticas públicas de prevenção, certamente a educação é uma das principais delas e tem o seu papel de relevância em termos de avanço também em segurança pública”, comentou o secretário da Segurança, Fernando Grella Vieira.
O investimento previsto será de R$ 5,5 milhões. O reforço visa contribuir com a sensação de segurança da população e com o combate à criminalidade. A localização geográfica e os índices criminais do Estado foram os critérios para a escolha das unidades que receberão o programa.
“Para mim, [a medida] fecha um ciclo que garante para a criança, jovem, professor e família a segurança que eles desejam”, falou o secretário da Educação, Herman Jacobus Cornelis Voorwald, que também participou da solenidade, no Palácio dos Bandeirantes.
Reforço na segurança
O projeto faz parte da ampliação da Diária Especial por Jornada Extraordinária de Trabalho Policial Militar. Com ela, a medida levará às ruas do Estado um total de 3.550 PMs a mais em dias úteis. A iniciativa foi lançada em abril, com 1 mil policias militares a mais por dia no patrulhamento. Em maio, a quantidade inicial passou para 2 mil PM, sendo 100 bombeiros, que começaram a atuar este mês.
Durante o evento, o secretário explicou que a medida da DEJEM permite um aumento das forças policiais e ressaltou a importância da atuação dos PMs integrantes do programa na segurança das escolas. “A segurança neste momento emprestará suas forças para que a educação possa avançar com tranquilidade”.
A Diária Especial agora estará presente em 89 municípios. Com a ampliação, a distribuição de policiais da DEJEM em dias úteis passa a ser de 1.187 policiais na Capital, 1.209 na Grande São Paulo, 308 na Baixada Santista e 266 na região de Campinas. Há ainda 90 PMs a mais por dia no Vale do Ribeira e no Litoral Norte e 490 em outras regiões do estado.
Na Diária Especial, os policiais podem contribuir com 8 horas contínuas, fora da jornada normal de trabalho, em no máximo 10 diárias no mês. A remuneração diária é de R$ 193,34 para oficiais e R$ 161,12 para praças
Atualmente, o investimento do Estado é de R$ 9,6 milhões por mês na remuneração dos 2 mil policiais por dia na Diária Especial. Com essa ampliação, o montante será de R$ 15,1 milhões por mês com a iniciativa.
Professores mediadores e Ronda Escolar
A medida também beneficiará o trabalho dos professores mediadores e do programa Ronda Escola. Atualmente, há 2.688 educadores capacitados para prevenir conflitos no ambiente escolar. Os chamados professores mediadores têm função de traçar planos para proteger os alunos de fatores de risco e também coibir comportamentos discriminatórios (racistas, homofóbicos, entre outros). Para isso, os educadores passam por formações de técnicas de Justiça Restaurativa, além de elaborar jogos, dinâmicas, rodas de conversa, sempre em linguagem jovem e que envolva toda a escola.
Já a Ronda Escolar conta com 3.716 PMs em todo Estado, com o objetivo de aumentar a segurança dentro e no entorno dos estabelecimentos de ensino. São 1.056 na Capital, 692 na Grande São Paulo, 336 na região de Campinas e 196 na Baixada Santista, além de outro 1.436 nas demais regiões.


Nenhum comentário:

Postar um comentário