quinta-feira, 20 de março de 2014

PESADELO DA ESCOLA DE CUBATÃO / SP

Escola de Cubatão vive um pesadelo

Unidade do bairro enfrenta problemas de falta de segurança e violência contra os professores. Arrombamentos, invasões e depredação do patrimônio público são frequentes

Da Reportagem

Não é de hoje que pais, alunos e professores enfrentam problemas na Escola Estadual Parque dos Sonhos 9A. No final de fevereiro, as aulas precisaram ser interrompidas porque vândalos entraram na escola, depredaram a cozinha e arrombaram o quadro de energia.
As informações foram declaradas pela diretora da escola, Denise de Almeida Ostler, em reunião dos professores, no dia 24 de fevereiro. O vereador Fábio Roxinho (PMDB), que estava na reunião, explicou a situação atual da instituição de ensino: “As aulas já voltaram. Mas a insegurança é total. A escola está muito mal localizada e foi muito mal projetada. É cercada por mato e longe da comunidade, em um lugar ermo. Não há como garantir a segurança desta forma, a questão estrutural beneficia o vandalismo”, reclama.
Segundo o vereador, a escola quer criar uma aproximação entre a instituição, os professores e os pais dos alunos, para que todos cuidem do patrimônio público. “Os funcionários da escola pedem socorro. Por morar no bairro, percebo a dificuldade que eles enfrentam todos os dias. Esses alunos vieram de outro bairro e não houve um acompanhamento social. Algumas medidas de segurança já foram tomadas nas escolas do bairro, mas para ficar 100% é preciso uma maior participação da comunidade”, explica.
Na ata, adquirida com exclusividade pelo DL, consta o desespero que os servidores enfrentam. “Os vândalos mais uma vez arrobaram o quadro geral de energia, (...) deixando a escola às escuras e sem condições para o desenvolvimento de suas atividades normais. Ressalta-se que não é a primeira vez que situações de arrombamentos, invasões e depredação do patrimônio público vêm ocorrendo nesta unidade escolar e, cada vez mais, a situação se torna pior e frequente”, descreve a diretora.
Local da escola beneficia vandalismo (Foto: Matheus Tagé/DL)
Local da escola beneficia vandalismo (Foto: Matheus Tagé/DL)

A descrição da reunião ainda mostra a insegurança enfrentada todos os dias pelos professores e funcionários. “Não havendo impedimentos para que pratiquem atos de destruição e vandalismo, acarretando danos e prejuízos ao patrimônio e ao andamento das atividades, a equipe, os professores e funcionários trabalham sempre sobressaltados e inseguros”, relata.
Durante a reunião, também foi relatado um incidente com um professor da unidade. Alunos interromperam a aula do docente que, ao advertir os garotos, foi agredido e derrubado pelos mesmos. O professor precisou ser levado ao pronto-socorro.
Os dirigentes da escola tentam mudar a situação da unidade e conscientizar pais, alunos e professores. “Algumas atividades pedagógicas vêm sendo desencadeadas no sentido de minimizar a violência e conscientizar alunos, pais e comunidade da importância da preservação do patrimônio público, do respeito entre os alunos, professores e todos que ali trabalham”.

Estado
Questionada pela reportagem, a Diretoria Regional de Ensino de Santos informou que, imediatamente ao registrar a agressão em fevereiro, a direção da unidade acionou os responsáveis pelos estudantes e, de acordo com o regimento escolar, suspendeu os envolvidos. Um professor mediador — profissional presente na rede estadual de ensino capacitado para identificar vulnerabilidades e traçar estratégias preventivas aos conflitos — acompanha o caso na Escola Parque dos Sonhos A.
 Pais, professores e alunos já se manifestaram por maior segurança no mês passado (Foto: Matheus Tagé/DL)
Pais, professores e alunos já se manifestaram por maior segurança no mês passado (Foto: Matheus Tagé/DL)

A diretoria explicou ainda que os cabos de energia furtados no dia 23 de fevereiro já foram recolados e o conteúdo perdido será reposto. As unidades de ensino solicitam o reforço da Ronda Escolar sempre que necessário. “As direções das escolas estão à disposição dos pais e dos estudantes e também reforçam com os alunos o trabalho de conscientização sobre a importância da conservação do patrimônio público”, informou através de nota.

Prefeitura
Procurada, a Prefeitura de Cubatão informou que tem ciência dos problemas enfrentados pela comunidade escolar das escolas estaduais do Parque dos Sonhos 9A e 9B. “Tanto assim que a Secretaria Municipal de Educação vem reiteradamente solicitando uma solução por parte da Diretoria de Ensino”, informou através de nota, garantindo ainda que todas as reclamações apontadas por pais e alunos são encaminhadas à Diretoria Regional de Ensino de Santos, solicitando providências.
A Prefeitura afirmou também que a Secretaria Municipal de Segurança Pública solicitou aos órgãos de segurança do Estado um reforço no policiamento no local.

Problemas são antigos
No final do ano passado, após muitas reclamações, o Estado prometeu que as escolas estaduais Vila Harmonia e Parque dos Sonhos, dos bairros Bolsão 7 e Bolsão 9, respectivamente, receberiam câmeras de monitoramento, gradis, alarmes e vigilância patrimonial em 2014. A garantia foi dada por representantes da Diretoria Regional de Ensino, em reunião realizada no Bolsão 7, a pedido do vereador Severino Tarcício da Silva (PSB), o Dóda.
No entanto, até agora, a situação continua a mesma. “Não mudou nada. Estamos esperando as providências serem tomadas”, explicou o vereador Roxinho.
Em fevereiro, os pais se manifestaram em frente à escola contra a transferência de alunos entre as escolas citadas. A reportagem esteve no local e, não só ouviu reclamações sobre a mudança, mas também sobre a falta de segurança e a estrutura nas escolas.
Na oportunidade, a diretoria regional de ensino informou que equipamentos de videomonitoramento serão instalados ainda no primeiro semestre do ano nas escolas.


Nenhum comentário:

Postar um comentário