sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

SEGURANÇA ESCOLAR NOS ESTADOS UNIDOS


A Evolução da Segurança Escolar nos Estados Unidos ( Parte 1 )


Cada vez que uma escola é atacada por algum maníaco com a intenção de matar crianças inocentes, a nação americana  torna-se ultrajada e as pessoas exigem mais segurança nas escolas ,um  controle de armas mais rígido de armas automáticas, e mais recursos  do governo para adicionar dispositivos e procedimentos de segurança para parar a violência horrível e  os assassinatos em massa . Tal evento teve lugar na Sandy Hook Elementary School, em Newtown, Connecticut em 14 de dezembro de 2012. Vinte crianças e seis adultos foram mortos antes que o atirador tirasse  a própria vida. Isso colocou-o entre os mais mortíferos tiroteios em massa na história recente em todo o mundo.
A mesma indignação ocorreu após Columbine , os assassinatos escola Amish , e após o tiroteio em massa e o massacre na Virginia Tech .
Cada incidente traz uma onda de especialistas, por vezes, recém-formados, que oferecem todos os tipos de soluções corretivas . Algumas  são ridículas,  e a maioria são simplesmente ineficazes.
Tenho visto a concepção de sistemas de segurança da escola para alguns distritos escolares mais problemáticos do país desde 1978, e algumas das minhas recomendações tiveram um impacto notável na redução da taxa de vandalismo escola,  parando traficantes de drogas e pedófilos ao tentarem  entrar nos edifícios escolares. Eu também ajudei escolas a desenvolverem  a formação dos funcionários para que eles possam ser hábeis em lidar com situações de emergência e crises , mas, como os milhares de outros consultores, eu nunca encontrei uma solução prática que pode parar um indivíduo perturbado de entrar em uma escola e matando estudantes e matando si mesmo ( atirador -ativo ).
Da mesma forma que não podemos  parar os terroristas de voar para prédios altos , detonar bombas ou evitar todos os assaltos a bancos ou impedir a entrada de todos os imigrantes sem documentos, não podemos tornar as escolas de 100 por cento seguras. A  escolas devem  avaliar a necessidade de maior segurança após o incidente Newtown, temos que manter essa realidade em mente.
Mas isso não significa que não devemos tentar fazer com que as escolas mais seguras. As escolas que pensam em segurança e rejeitá-lo, por vezes, citar a estatística de que a chance de uma criança ter sido baleado em uma escola é um em um milhão. Aqueles que seguem o ditado de que não conseguem reconhecer que a única estatística que deve ser realmente interessa é que uma criança é um em um milhão.

Embora a segurança escolar seja uma área onde não existem soluções simples e baratas, ter os registros históricos de segurança escolar pode colocar a situação que ocorreu na escola de Sandy Hook numa perspectiva mais adequada. Ignorar a história passada só incentiva os administradores e gestores escolares a repetirem os mesmos erros novamente.

Adaptação do artigo de Charles Schnabolk, PE, PSP pelo especialista Ulisses Nascimento, CES



Nenhum comentário:

Postar um comentário