segunda-feira, 22 de julho de 2013

PROERD - CRIANÇAS LONGE DAS DROGAS


RESPONSABILIDADE PELA SEGURANÇA DAS ESCOLAS

RESPONSABILIDADES PELA SEGURANÇA NAS ESCOLAS

Noticiários de TV, jornais e demais meios de comunicação de massa mostram, com freqüência, acontecimentos violentos no âmbito educacional e, inegavelmente, com uma “dose” de forte emoção. Esta é a novidade: a violência adentrou os muros escolares fazendo-se marcante e presente. Que estará acontecendo com esta “sacrossanta” instituição que pretende apenas educar?
Este é um problema que tem afetado a educação, os docentes e principalmente a gestão escolar, que é formada, geralmente, pelo diretor, vice-diretor, coordenadores e orientadores. São estes profissionais que acompanham de perto a ação educativa no cotidiano da escola, cabendo a eles equacionar os problemas que surgem neste ambiente, em busca de soluções.
Dizemos que uma organização caracteriza-se por um grupo de pessoas reunidas com metas e objetivos afins. As organizações facilitam a vida em sociedade porque buscam a otimização de metas. Com isso, o estado preocupado criou órgãos que competem na segurança das escolas. 
*Polícia Militar - Cabem a polícia ostensiva e a preservação da ordem pública em seu parágrafo 5° do artigo 144 da CF/ 88, então, criou-se a polícia comunitária escolar com o objetivo e prevenir a violência escolar e a pratica do ato fracional, que possa ser cometido por crianças e adolescentes.
*Bombeiro Militar - Na orientação sobre prevenção e combate a incêndio nas escolas, com projetos e ações. Defesa Civil nas Escolas irá desenvolver ações como, implementar o projeto agente mirim defensor da vida criar e acompanhar os Núcleos Escolares de Defesa Civil nas Escolas (Nudec’s) e construir o mapa de ameaças, vulnerabilidade e recursos das escolas assistidas.
*Guardas Municípais - Constituir importante instrumento de integração comunitária, insere-se nesse mister a proteção dos prédios das escolas municípais que sofrem com atos de vandalismo.
*Vara da Infância e da Juventude - Pertence ao poder público cabe ao juir aplicar ao adolescente as medidas socioeducativa. Nas ações de policiamento comunitário escolar, essa instituição pode auxiliar nas diversas operações realizadas no ambiente escolar, além de ter atuações específicas nas resoluções de problemas envolvendo alunos.
* Ministério Público - O representante no exercício de suas funções, terá livre acesso a todo local onde se encontre crianças e adolescentes. Em todas as ações envolvendo crianças e adolecentes, esse órgão estatal necessitar parcicipar de todas as fases.
Polícia Civil - Os principais órgãos especializados no atendimento à crianças e adolescentes são a delegacia da criança e adolescente ( DCA ) e a delegacia de proteção à criança e adolescente ( DPCA ).
*Conselho Tutelar - As competencias estão estatuídas nos art. 136 do ECA. atua em duas frentes de ação igualmente.
-Preventiva - Fiscalizando entidades, mobilizando sua comunidade para o exercício de direitos assegurados a todo cidadão.
-Repressiva - Agindo diante da violação consumada, defendendo e garantido a proteção especial.
*Os Coselhos Comunitários de Segurança Escolar - São entidades comunitárias privadas de cooperação voluntária com a política de segurança pública e defesa social.
PONTO DE VISTA
Por fim, nunca é demais realçar o papel dos pais para com a educação dos filhos. As perspectivas de análise, ainda que voltadas precipuamente para determinados aspectos técnicos, sempre devem sinalizar para a concepção sistêmica e o sentido integrador não só dos cuidados desde a família, mas também das providências dos legitimados para o processo educativo escolar e da ação das autoridades constituídas.

Marcos Morais Andre de Souza, Policial aluno do Curso de Policiamento Escolar, EAD SENASP, ciclo 28

PLANO PROMETE REFORÇAR O ENSINO DE FORTALEZA

ESCOLAS MUNICIPAIS

Plano de R$ 511 milhões promete reforçar ensino

16.07.2013
A previsão é que o pacote com 11 pontos seja implantado a partir do próximo semestre, até o fim de 2015

Dando início à III Conferência Municipal de Educação, evento que pretende discutir novos rumos e benefícios para o setor na Capital, a Prefeitura de Fortaleza e a Secretaria Municipal de Educação (SME) anunciaram, ontem, um pacote com 11 medidas que prometem ampliar o acesso à rede pública de ensino e oferecer melhores condições de aprendizado e trabalho a estudantes e professores.

Os projetos incluem, dentre outros pontos, a criação e reforma de unidades escolares e aumento da segurança nos entornos das instituições, totalizando um investimento de R$ 511 milhões. A previsão é que o plano seja implantado a partir do próximo semestre, até o fim de 2015.

Segundo Ivo Gomes, titular da SME, a grande maioria dos recursos será aplicada em obras. Ao todo, devem ser implantadas 35 escolas de tempo integral, das quais 29 ainda serão erguidas e as outras seis, uma em cada distrito educacional, sofrerão reestruturações para se adaptarem ao novo regime já em 2014. Os espaços, que poderão atender até 500 alunos, ficarão voltados aos estudantes do 6º ao 9º ano do ensino fundamental, além de integrantes da modalidade Educação de Jovens e Adultos (EJA).

O pré-primário também receberá reforços com a construção de 91 Centros de Educação Infantil. Conforme o secretário, as unidades serão criadas nas áreas consideradas mais carentes com base em indicadores de pobreza e violência avaliados pela Prefeitura. Outro projeto é a reforma de instituições de ensino da Capital com verbas dos governos Estadual e Federal, que, de acordo com Ivo Gomes, devem ficar prontas no próximo semestre.

Rede

"Com isso, queremos ampliar a possibilidade de absorção de novos alunos para a rede municipal. Pela primeira vez, a rede privada tem cinco mil alunos a mais que as escolas da Prefeitura. Em uma cidade pobre e desigual como Fortaleza, isso é uma evidência do desgaste da escola pública", revela o secretário.

Diante da complexidade das medidas, o titular da SME afirmou que as obras serão itens de conclusão a médio e longo prazo. A construção das escolas de tempo integral, por exemplo, deve terminar apenas para o ano letivo de 2015.

No entanto, alguns planos previstos no pacote são esperados até o fim deste ano. Entre eles, está o funcionamento de 40 novos ônibus escolares já adquiridos, a construção de 49 quadras poliesportivas, a instalação de fibra ótica em todos os colégios da rede municipal - para internet de alta velocidade-, a compra de material individual e fardamentos para os estudantes e a aquisição de 58.175 mobiliários.

"As reformas devem ser concluídas no segundo semestre deste ano, porque precisam estar prontas para receber os alunos de 2014. O mais demorado são as obras de construção. As escolas de tempo integral não vão terminar em menos de um ano. Já os Centros de Educação Infantil, o governo Federal nos disse que vão ficar prontos em seis meses", frisou Gomes.

Prefeito anuncia criação de "Academia do Professor"; veja vídeo




Investimentos
Segundo o prefeito Roberto Cláudio, todos os projetos anunciados ontem já possuem recursos garantidos. Em geral, os investimentos são advindos da União, do Estado e do Município, em percentuais de 70%, 20% e 10%, respectivamente. Conforme ele, o objetivo principal das medidas é reverter os baixos indicadores de qualidade de educação da rede pública, fazendo com que todos os alunos da Capital saibam, pelo menos, ler e escrever até o fim do atual mandato.

"As verbas já estão garantidas, asseguradas na conta da Prefeitura. Só nos comprometemos com aquilo que será iniciado efetivamente no segundo semestre e queremos ser cobrados", afirma Roberto Cláudio.

40 viaturas farão segurança no entorno dos colégios

O pacote anunciado ontem na abertura da III Conferência Municipal de Educação pela Prefeitura inclui, ainda, medidas com o intuito de atender antigas demandas de estudantes, pais e professores. Uma delas é a criação de um Departamento de Segurança Escolar, com a proposta de reduzir os índices de violência existentes nos entornos de colégios da rede pública localizados em áreas de vulnerabilidade social da Capital.

Durante a solenidade, a Prefeitura apresentou o novo fardamento da rede municipal de ensino, que antes era na cor vermelha FOTO: KLÉBER A. GONÇALVES

Ivo Gomes informou que 40 viaturas policiais serão empregadas no monitoramento das escolas, circulando entre as 6h e as 22h, exclusivamente nas proximidades das instituições. Segundo ele, um efetivo composto por 240 homens e mulheres ficará responsável pelo trabalho de segurança. O investimento total será da ordem de R$ 2,5 milhões.

Além de estudantes, outros projetos prometem servir de auxílio também a professores. No início do próximo ano, a Prefeitura deve inaugurar a Academia do Professor, espaço com aparato médico e de lazer destinado a educadores da Capital. A unidade será implantada no prédio que abrigava o antigo Colégio Brasil, no Centro de Fortaleza, após reforma, a qual, segundo Ivo Gomes, está em processo de conclusão.

Além disso, o pacote de medidas prevê o desenvolvimento de um Portal Educacional, que deve funcionar como suporte ao planejamento de professores e ao aprendizado de alunos. A estimativa é que o recurso seja lançado em fevereiro de 2014.

Diretores

A solenidade foi também cenário da posse de 326 novos diretores e vice-diretores da rede ensino municipal, escolhidos por meio de seleção pública, seguindo os princípios da meritocracia.

Durante o evento, os gestores receberam homenagens das autoridades de Educação do Município e do Estado. Até o dia 17, a conferência debaterá temas como o financiamento público para o setor, educação especial e inclusiva, drogas e violência.

Conforme a diretora do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação (Sindiute), Gardênia Baima, o debate devem ir além da infraestrutura. "É preciso, inicialmente, discutir o financiamento. Sem ter isso redefinido e debate, andamos pouco. A discussão sobre a Educação não inclui somente a infraestrutura. Tem a valorização do magistério, o investimento em todos os segmentos que fazem a escola".

Para a diretora recém empossada, Teresa Neuma Fechini, "o aparelhamento das escolas, a valorização do professor e a articulação com as famílias são as maiores necessidades e expectativas de quem trabalha com a Educação em Fortaleza".

Prefeitura pretende construir 11 ´mini-Cucas´

A Prefeitura de Fortaleza vai construir Centros de Artes e Esportes Unificados nos bairros Ancuri, Granja Lisboa e Vicente Pinzón. Chamados informalmente de "mini-Cucas" (Centros Urbanos de Cultura, Arte, Ciência e Esporte), as obras devem ter a ordem de serviço dada até o próximo mês de agosto e devem ficar prontas até dezembro do ano que vem.

O "mini-Cuca" do bairro Ancuri será o menor, e terá cerca de 3 mil m². Já os equipamentos dos bairros Granja Lisboa e do Vicente Pinzón terão 7 mil m², conforme informações do coordenador de Juventude da Prefeitura de Fortaleza, Élcio Batista, que esteve presente durante a abertura da III Conferência Municipal de Educação de Fortaleza.

Élcio Batista fala sobre projetos em vídeo




Outros equipamentos

Os Cucas do Mondubim e São Cristóvão, que foram inaugurados na gestão passada mesmo sem estarem finalizados, devem ficar prontos até outubro deste ano, ainda de acordo com previsão do coordenador de Juventude da Prefeitura.

Os Cucas das outras Secretarias Regionais (II, III e IV) continuam nos planos da Prefeitura de Fortaleza, no entanto, ainda não há previsão para o início dos trabalhos.

VANESSA MADEIRA/ADRIANO QUEIROZ
REPÓRTER/REDAÇÃO WEB


Guarda Municipal de Jundiaí realiza seminário sobre segurança nas escolas

ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO NAS ESCOLAS

Escolas passam a ter ronda escolar em Paraíso

Antes foi feito um trabalho de orientação nas duas escolas, onde os alunos receberam explicações da forma correta de atravessar na faixa de pedestre. / Divulgação
Antes foi feito um trabalho de orientação nas duas escolas, onde os alunos receberam explicações da forma correta de atravessar na faixa de pedestre. / Divulgação
Clic Folha

A Secretaria Municipal de Segurança Pública, Trânsito e Transporte iniciou este mês a ronda escolar (orientação no trânsito) na porta das escolas estaduais Paraisense e Clóvis Salgado, uma solicitação de pais, diretores das unidades de ensino e usuários do trânsito local.

Antes foi feito um trabalho de orientação nas duas escolas, onde os alunos receberam explicações da forma correta de atravessar na faixa de pedestre e sobre os materiais utilizados (cones, fita zebrada e correntes de segurança) na porta das escolas, afim de que os mesmos utilizem somente a faixa de pedestre para a travessia e aguarde na calçada.

O motivo é que a rua tem fluxo de veículos intenso, inclusive de grande porte, possui alto índice de acidentes de trânsito e muitos conflitos. Existe no local uma grande movimentação de pedestres, visto que no horário de entrada e saída dos alunos é o mesmo para três escolas próximas: Benedito Ferreira Calafiori, Paraisense e Clóvis Salgado. Esta ação está sendo feita com o objetivo de melhorar a fluidez e segurança do local e dos usuários. 



PROGRAMA BRIGADA ESCOLAR - DEFESA CIVIL NA ESCOLA

4ªCOREDEC – Membros do programa Brigada Escolar realizam reunião sobre adequações de segurança contra incêndio e pânico nas escolas da rede pública de ensino
Enviado por RAFAELA TASSI em 19/07/2013 
Administrativas

Integrantes da Defesa Civil Estadual e Núcleo Regional da Educação promoveram em data de 18 de julho de 2013, uma reunião com integrantes das regiões oeste, sudoeste e centro-sul, responsáveis pelo Programa Brigada Escolar - Defesa Civil na Escola.


O intuito do evento foi explanar aos participantes sobre as etapas relacionadas à implementação da Resolução Normativa 001 da Superintendência de Desenvolvimento Educacional (SUDE), a qual trata da adequação das edificações dos estabelecimentos da rede pública de ensino do Estado do Paraná quanto aos elementos de Segurança Contra Incêndio e Pânico.

Durante a reunião foram citadas ainda as principais particularidades a serem observadas nos estabelecimentos de ensino, com referência às instalações e localizações das placas de sinalização de emergência, blocos de iluminação de emergência e extintores.

Objetivo da “Brigada Escolar – Defesa Civil na Escola” visa levar aos Estabelecimentos de Ensino da Rede Estadual um programa que propicie a criação e implantação de uma cultura de prevenção a partir do ambiente escolar, preparando os profissionais da educação e estudantes para saber agir em uma situação de emergência, bem como também irá orientar os órgãos ligados as áreas de educação e segurança pública, na aplicação de medidas de prevenção de riscos em todos os 2.531 Estabelecimentos de Ensino do Estado.



1° Ten. QOBM Rafaela Tassi Montagner
Oficial de Comunicação Social do 4°GB


domingo, 21 de julho de 2013

A BASE DO TRABALHO DO OBSERVATÓRIO É A VONTADE DE FAZER !


ESPAÇOS DE PAZ

OBSERVATÓRIO SEGURANÇA ESCOLAR

TODOS OS ANOS OS EDUCADORES DAS ESCOLAS PÚBLICAS E PRIVADAS BRASILEIRAS ENFRENTAM O DESAFIO DE LECIONAR PARA SEUS ALUNOS – DA EDUCAÇÃO INFANTIL À UNIVERSIDADE – EM AMBIENTES SEGUROS E PROTEGIDOS. COMO FALAMOS EM OUTROS ARTIGOS E NAS PALESTRAS REALIZADAS OS ESFORÇOS DEVEM SER REDOBRADOS CONTRA CONDIÇÕES INSEGURAS, ATOS INSEGUROS E CONDIÇÕES PERIGOSAS DE TODA NATUREZA NAS DEPENDÊNCIAS DAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO. OS GESTORES DE SEGURANÇA EM ESCOLAS DEVEM ASSEGURAR QUE AS PESSOAS CONTRATADAS ESTEJAM CIENTES E PREPARADAS PARA ENCARAR OS PERIGOS QUE POSSAM SURGIR RELACIONADOS A ESTA NOBRE FUNÇÃO. PRETENDEMOS APÓS PESQUISAR O ASSUNTO EM VÁRIAS PARTES DO MUNDO, E APRENDER COM ESPECIALISTAS EM SEGURANÇA ESCOLAR, FORNECER AS MELHORES SOLUÇÕES E FERRAMENTAS PARA MINIMIZAR OS RISCOS E TRANSFORMAR O AMBIENTE ESCOLAR.
CONVIDO TODAS AS PESSOAS QUE LEREM ESTES ARTIGOS, A DAREM UM FEEDBACK COM AS TRANSFORMAÇÕES DIÁRIAS EM SUAS ESCOLAS E UNIVERSIDADES QUE SEJAM FRUTO DA APLICAÇÃO DESTES CONHECIMENTOS PELO EMAIL CONSULTORIAGNA@YAHOO.COM.BR .

PROF. ULISSES NASCIMENTO, CES

TEL. 0XX11 98834 9838

quarta-feira, 10 de julho de 2013

RONDA ESCOLAR EM JOÃO PESSOA/SEMUSB

Prefeitura inicia ronda escolar na Zona Sul a partir desta terça








A Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), por meio da Secretaria de Segurança Urbana e Cidadania (Semusb), inicia nesta terça-feira (9) a ronda escolar em diversos bairros da Capital. Serão três viaturas com um total de 12 guardas municipais que ficarão responsáveis pela ronda. As escolas localizadas nos bairros da Zona Sul de João Pessoa serão as primeiras a receberem a ronda.


O secretário da Semusb, Geraldo Amorim, explica que 12 guardas municipais foram capacitados para dar início aos trabalhos da ronda. “Esse é um primeiro momento, ou seja, um projeto piloto, porque nossa intenção é expandir essa ronda para todas as escolas da cidade. Já estamos preparando e capacitando outros guardas municipais para darmos prosseguimento à ronda”, destacou.


As primeiras escolas que receberão a ronda solicitaram à PMJP a presença do efetivo da guarda. Diariamente, diversos pontos da Capital serão monitorados. Neste primeiro momento, 12 escolas da Zona Sul de João Pessoa serão monitoradas pela PMJP como forma de prevenção à criminalidade.


Geraldo Amorim também destaca que a ronda escolar vai além da presença do efetivo da guarda municipal nas redondezas da escola. “Queremos interagir com a comunidade, com os moradores, diretores de escolas e comerciantes que ficam no entorno das unidades. Vamos cadastrar os ambulantes nas proximidades para prevenir qualquer tipo de incidente que atrapalhe o cotidiano dos estudantes”, afirmou.



SEGURANÇA NO TRÂNSITO

Projeto conscientiza comunidade escolar sobre segurança no trânsito

05/07/2013 16:06:00

As secretarias municipais de Trânsito (Setran) e de Educação estão iniciando nas escolas municipais de Curitiba um projeto-piloto de sensibilização para temas relacionados à segurança no trânsito. O objetivo do trabalho é envolver a comunidade escolar – alunos, pais, professores – com as questões do trânsito no entorno das escolas.
Durante esta semana, agentes educadores da Setran visitaram quatro escolas – Maria do Carmo Martins (Cidade Industrial de Curitiba), Marumbi (Uberaba), Paulo Freire e Colombo (ambas no Sítio Cercado) – para realizar atividades educativas com os alunos e palestras com pais e professores. “A cada mês, iremos promover um período de atividades em quatro ou cinco escolas. Faremos uma avaliação do projeto por seis meses e depois vamos expandi-lo para as demais escolas da cidade”, afirma Adilson Lombardo, coordenador de educação no trânsito da Setran.
Os alunos assistem a palestras sobre a segurança no trânsito, abordando as crianças como pedestres e como passageiros nos veículos. Eles também participam de oficinas de pintura e desenho, brincam com jogos educativos, fazem um circuito de orientação trânsito - que simula situações nas ruas da cidade -, além de assistir uma apresentação muita interativa, que reúne música e teatro de bonecos, com diversas dicas de trânsito.
 “Aprendemos que não se deve brincar na rua, pois podemos ser atropelados. Vimos muitas coisas que podemos passar para os nossos pais, como respeitar a faixa de segurança e não avançar nos pedestres com o carro”, explica Bruna Beatrisse Ripka, de 10 anos, aluna do 5º do ensino fundamental da Escola Municipal Marumbi. “Aprendi diversas coisas sobre como andar corretamente nas ruas, fazer as travessias, respeitar os semáforos. Tudo para não termos mais acidentes nas ruas”, completa Abdiel Marques de Freitas, de 10 anos, outro aluno da Marumbi.
Os professores recebem orientações de como a segurança no trânsito pode ser inserida no conteúdo das aulas. “Nosso aluno é um multiplicador da ideia de responsabilidade e do cuidado no trânsito. Com as informações, os professores também podem conhecer e respeitar mais as leis de trânsito e incentivar os alunos a cobrar dos seus familiares um maior respeito também. As palestras e oficinas devem ser mais constantes para todos os envolvidos – alunos, professores e a comunidade local. Assim, todos ajudamos a melhorar o trânsito na cidade”, revela a professora Cleonilda Gomes Batista, da Escola Marumbi.
O projeto ainda promove palestras de sensibilização para os pais dos alunos. A dona de casa Josiane da Silva Gomes recebeu as informações de trânsito dos agentes da Setran e disse que pretende conversar com o filho e aluno da escola do Uberaba sobre o que ambos aprenderam. “É preciso sempre prevenir os acidentes na região da escola. No nosso caso, o colégio fica quase ao lado da BR-277. Temos uma passarela próxima, mas as pessoas insistem em passar por baixo, cruzando a rodovia, onde acontecem os acidentes. Eu sempre uso a passarela e falo para o meu filho utilizar também”, confirma.


SEGURANÇA E PREVENÇÃO ÀS DROGAS NAS ESCOLAS

Educação realiza curso sobre segurança e prevenção às drogas nas escolas

Formação é voltada para profissionais das CREs e é promovida em parceria com a PM/AL; atividades seguem até quinta-feira (11)
     Teve início, nesta segunda-feira (8), o curso de segurança e prevenção às drogas nas escolas voltado aos profissionais da Educação estadual que atuam em unidades das Coordenadorias Regionais de Educação (CREs) de Maceió. A atividade acontece no Centro de Formação Ib Gatto Falcão (Cenfor), no Centro de Pesquisas Aplicadas (Cepa) e prossegue até quinta-feira (11).
    A formação é promovida em parceria com o Batalhão Escolar da Polícia Militar de Alagoas (PM/AL). No primeiro dia de palestra, os tenentes Gustavo e Carvalho explicaram aos participantes como é realizada a ronda escolar. “As rondas do Batalhão são feitas de segunda a sexta-feira, nos três turnos. Os policiais vão até a escola, conversam com diretor e professores e, quando há necessidade, fazem abordagens no entorno da unidade”, explicou o tenente Carvalho.
    Os militares também aconselharam a adoção de pequenas medidas preventivas nas escolas, como prestar informações detalhadas à polícia, ter um maior controle sobre a portaria e manter sempre fechadas as salas em que não há atividades.
    “É essencial estreitar os laços com a Secretaria de Educação, sobretudo neste momento de transição de diretores escolares. Nossa intenção, com esse curso, é facilitar a comunicação entre escolas e Batalhão Escolar, instruir os educadores e captar informações sobre ocorrências”, comentou o tenente Gustavo.

    Combate às drogas


    Nas próximas quarta (10) e quinta (11), o sargento Genivaldo vai ministrar módulo sobre o Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd), debatendo sobre os danos trazidos pelo uso de entorpecentes.
    De acordo com a chefe do Núcleo de Desenvolvimento Profissional (Nudep) da Secretaria de Estado da Educação, Alexsandra Sena, ao serem consultados sobre quais os cursos que desejavam participar, técnicos das Coordenadorias Regionais de Educação demonstraram interesse nas áreas de primeiro socorros e segurança patrimonial.
    “Muitos educadores precisam lidar com situações de violência, muitas delas relacionadas às drogas, mas nem sempre sabem a forma mais certa de fazê-lo. Por isso a importância de oferecer momentos como este”, destaca Alexsandra.
    O primeiro módulo da capacitação, realizado em apoio com o Corpo de Bombeiros, entre os dias 17 e 20 de junho, abordou noções de primeiros socorros, orientando os profissionais a agir em casos de emergência e pequenos acidentes no ambiente escolar.