segunda-feira, 24 de junho de 2013

ESCOLAS SEGURAS - ENTREVISTA NO EDUCAR PARA CRESCER

ESCOLAS SEGURAS
Como saber se a escola de seu filho é segura?
Saiba como identificar possíveis falhas de segurança no ambiente escolar de seu filho e, assim, ajudar a propor melhorias

18/04/2013 12:50 
Texto
 Renata Costa



Fique atento se a escola do seu filho tem aparatos para a prevenção de acidentes e sinalizações para a boa circulação de pessoas


Criança na escola é garantia de segurança. Certo? Nem sempre. Especialistas em segurança e em educação dizem que boa parte das instituições de ensino é segura, mas há muitos aspectos a serem levados em conta para minimizar todos os riscos possíveis. O assunto não deve ser motivo para pânico, mas os pais precisam se certificar de que seus filhos estão em um estabelecimento seguro do ponto de vista da prevenção de acidentes, incêndio e, também, protegidos de violência dentro da escola e em seu entorno. 


"Para muitas escolas, falar de segurança é um tabu, pois elas temem que os pais pensem que o local não é seguro", diz Ulisses Nascimento, gestor de segurança privada e pós-graduando em Educação. A melhor maneira de quebrar o tabu, portanto, é procurar os professores e a coordenação para conversar abertamente sobre esse assunto. 

Há algumas questões essenciais para serem discutidas e medidas importantes a serem tomadas para que as escolas evitem se expor e a seus alunos a risco de acidentes e à violência do bairro e da cidade.

Para isso, é essencial a união de pais e direção. "A segurança é uma engrenagem na qual todos estão direta ou indiretamente envolvidos. Assim, palestras específicas com foco dirigido a pais, alunos e equipe da instituição de ensino são fundamentais para a manutenção da segurança", explica Yara Gonçalves Dias, pedagoga, especialista em Segurança e autora do livro "Coisas que os pais precisam saber sobre os filhos" (Editora Livre Expressão, 2011, 241 págs). 

Nada adianta também pensar que a violência é só externa. A prevenção começa na família. "Quando educamos nossos filhos priorizando valores, princípios e respeitando limites, criamos cidadãos responsáveis, que respeitam a lei, respeitam o outro, não necessitando de medidas estritamente repressivas", diz a especialista Yara.

O ambiente escolar precisa estar adaptado para receber as crianças e os adolescentes de forma segura. Por mais que o prédio esteja bonito ou bem conservado e a direção, coordenação, professores e funcionários sejam simpáticos e solícitos, nada disso é garantia de que a instituição está livre de um incêndio ou outra situação que necessite a evacuação de emergência do prédio. 


Para estar verdadeiramente preparada para esses imprevistos, a escola precisa de cuidados em sua estrutura física, equipamentos de segurança, treinamento de funcionários e de alunos. Não há ainda uma lei federal que regule a questão de segurança e prevenção de acidentes nas escolas (ou em quaisquer outros estabelecimentos). A questão começou a ser discutida pra valer agora, depois do incêndio de uma boate em Santa Maria, Rio Grande do Sul, que fez mais de 230 vítimas fatais. As leis e normas são estaduais e municipais. "A fiscalização é frouxa", comenta Ulisses Nascimento, gestor de segurança privada e pós-graduando em Educação. Mais um motivo para que os pais fiquem atentos a este assunto na escola de seus filhos. Para isso, damos um passo a passo do que deve ser observado na escola para ter certeza de que ela é segura.


Nenhum comentário:

Postar um comentário